ARNALDO CALAZANS NO MUNDIAL DE MARRAKESH: A REALIZAÇÃO DE UM SONHO

 In Notícias

“Há sete anos, eu não conseguia chegar ao peso da minha categoria para competir no mundial de veteranos [de judô], um antigo desejo. Em grande medida, o fato de estar sempre com o joelho um pouco combalido, me atrapalhava. Em 2019, porém, a história foi diferente.” Conheça a jornada de Arnaldo Calazans Jr., que, com a assistência do Instituto Vita, superou duas lesões para disputar o sonhado mundial de judô.

Arnaldo Calazans Jr. tem 39 anos, é faixa-preta de judô, apaixonado pelo esporte e por competir. Atleta do Instituto Camaradas Incansáveis (ICI), entidade com sede em São Paulo, capital, Calazans nos contou como a assistência ortopédica e fisioterápica do Instituto Vita foi importante para ele. “Há sete anos, eu não conseguia chegar ao peso da minha categoria para competir no mundial de veteranos, um antigo desejo. Em grande medida, o fato de estar sempre com o joelho um pouco combalido, me atrapalhava. Em 2019, porém, a história foi diferente.”

No primeiro semestre do ano passado, profissionais e colegas de treino do ICI indicaram o Instituto Vita para que Calazans pudesse tratar sua lesão no joelho. “Procurei o Vita e fui atendido pelo Dr. Marcelo Cava. Como me queixava de desconfortos no joelho e nos ombros, ele fez o exame clínico de ambos e, depois, pediu-me alguns exames de imagem. Antes de mesmo dos resultados dos exames, passei por algumas sessões com os fisioterapeutas do Instituto e minha impressão foi a melhor possível.”

Dr. Cava explica em que contexto se deu a primeira consulta médica de Calazans no Instituto Vita. “Oito anos antes de chegar ao Vita, Calazans havia sofrido uma entorse no joelho direito que evoluiu e trouxe consigo uma dor persistente na face lateral da articulação, o que dificultava a execução de alguns golpes de judô. A lesão no ombro direito era um pouco mais antiga, 10 anos, e fora resultado de um trauma que o deixou, ao longo de todo esse tempo, com dor ao realizar movimentos de força e amplitudes elevadas”, explica Dr. Cava.

Arnaldo Calazans, em Marrakesh, ao lado do campeão mundial de veteranos, o judoca japonês Uno Shintaro, com a sua medalha.

O médico do Vita diz que, no exame físico, identificou-se, no joelho, uma dor bem caracterizada de lesão do menisco lateral e, em menor grau, de desgaste da cartilagem do compartimento lateral. “Quanto ao ombro, apresentava um quadro de artrose e lesão da inserção proximal do tendão do cabo longo do bíceps. Lesões estas confirmadas através de exames de ressonância magnética.”

A CIRURGIA

Cava conta que, para o ombro, o tratamento convencional, baseado em fisioterapia, mostrou-se mais apropriado. “Contudo, as queixas em relação ao joelho permaneceram. Decidimos, então, realizar o procedimento cirúrgico por videoartroscopia, no qual identificamos e ressecamos a lesão do menisco lateral. Também realizamos condroplastia das lesões cartilaginosas.”

A cirurgia foi feita em maio. “Foi um sucesso. Cinco dias depois, retornei em consulta e fui reencaminhado à fisioterapia no mesmo dia, onde segui fazendo intensos trabalhos de reabilitação e fortalecimento no ombro e no joelho. Eu tinha dúvidas sobre se conseguiria voltar a treinar forte e obter bons resultados em competições”, diz Calazans.

Contudo, o atleta, que também é faixa-preta de jiu-jitsu, destaca a competência dos profissionais do Instituto, não apenas a do Dr. Cava, mas também a da fisioterapeuta Luana Satriano. “Os profissionais do Instituto Vita são fantásticos e profundos entendedores do que fazem. Luana e o Dr. me disseram que era possível voltar a treinar forte e competir. Eles me passaram confiança e eu segui todas as orientações que me davam para chegar onde eu queria”, diz Calazans.

Dr. Cava diz que, em pouco tempo, Calazans apresentou um resultado muito bom com a fisioterapia e, em dois meses, já estava liberado para o retorno gradativo ao esporte. “Meu grande objetivo era disputar o Mundial de Veteranos que aconteceria em outubro de 2019. Depois de sete anos não conseguindo, sequer, bater o peso, eu consegui ir para Marrakesh, no Marrocos, onde o Mundial seria disputado. Não apenas bati o peso, mas obtive o 7º lugar, que, para mim, considerando o contexto, valeu por uma medalha.”

Arnaldo Calazans com os Camaradas Incansáveis Cristian Cezário, à esquerda, e Rodrigo Motta (direita) na ocasião em que recebeu, do ICI, medalha pela valorosa participação no Mundial de Veteranos de 2019, disputado em Marrakesh, no Marrocos, quando ficou entre os sete melhores de sua categoria.

Além de sua vontade e dedicação para realizar o objetivo de disputar um mundial de veteranos, Calazans faz questão de frisar a importância de outras pessoas. “Só tenho a agradecer aos profissionais do Instituto Vita e aos meus amigos do ICI, sem os quais não conseguiria realizar este que, para mim, é um feito pessoal.”

Recommended Posts

Leave a Comment