“ABSOLUT”, UMA DAS ESTRELAS DO eSport NACIONAL, FAZ TRATAMENTO NO VITA

 In Notícias

“Toda atividade de alto desempenho pede uma preparação do corpo compatível com a demanda que ela exige. As equipes de eSport precisam não só trabalhar a parte técnica, mas, também, o condicionamento dos atletas”, diz o médico do Vita, João Nakamoto.

Uma das estrelas do eSport (esporte eletrônico) brasileiro, Luis Felipe “Absolut” Carvalho, está tratando uma lesão com profissionais do Vita. “Ele tem uma tendinopatia de antebraço que começou a cerca de um ano e foi piorando ao longo do tempo. Iniciou, conosco, tratamento com terapia ocupacional [com Raquel Luz], osteopatia [William Wenceslau] e preparação física [Luiz Soares] há aproximadamente três meses”, diz ortopedista do Vita, especialista em mão, João Nakamoto.

A profissionalização dos eSports, que, cada vez mais, gera excepcionais dividendos e envolve equipes bem estruturadas e com fortes investimentos, tem levado o empenho dos e-atletas para muito além de uma mera prática recreativa. Porém, a preparação física e o acompanhamento médico, na maioria dos casos, não acompanhou esse grau de exigência.

Torneios de eSports, como o Circuito Desafiante, mobiliza um grande número de pessoas e, cada vez mais, atrai investidores. Seu atletas são altamente demandados, mas, nem sempre, têm o acompanhamento médico, fisioterápico e de preparação física apropriados.
Torneios de eSports, como o Circuito Desafiante, mobiliza um grande número de pessoas e, cada vez mais, atrai investidores. Seu atletas são altamente demandados, mas, nem sempre, têm o acompanhamento médico, fisioterápico e de preparação física apropriados.
(Foto: Leonardo Sang)

“Toda atividade de alto desempenho pede uma preparação do corpo compatível com a demanda que ela exige. As equipes precisam não só trabalhar a parte técnica do jogo, mas, também, o condicionamento do atleta para que ele se mantenha inúmeras horas na mesma posição e com competência de tempo de reação, atenção e resistência”, explica Nakamoto.

“Já é possível acompanhar movimentações, mundo a fora, para a profissionalização do eSport também na parte de preparação física. Aqui no Brasil, existem equipes com acompanhamento de fisioterapeutas, mas ainda não é uma realidade em todos os times. Nós, da Team One, vamos implementar a preparação física [personal trainer] e fisioterápica para todos os atletas”, explica o CEO da Team One, Alexandre Peres, pela qual atua Absolut.

A RECUPERAÇÃO E A PARTICIPAÇÃO NOS TORNEIOS DE eSport

O médico do Vita explica que a lesão de Absolut não é grave. “Porém, a maior dificuldade é o tempo que ele demorou para iniciar o tratamento, que consiste em um melhor planejamento dos treinos, trabalho de reabilitação para controle de dor, exercícios posturais, alongamentos e fortalecimentos para que ele aumente sua resistência e sua capacidade de manter o mesmo desempenho por todo o período que lhe é exigido”, comenta Nakamoto.

Absolut diz que, embora não esteja 100%, o tratamento tem-lhe permitido jogar as partidas importantes. “Sinto que, sem o tratamento, não estaria conseguindo atuar nem nos jogos importantes. Eu precisaria parar completamente por um tempo bem maior.”

Team One, defendido por Absolut, classificou-se para a final do Circuito Desafiante. Se vencer, volta à elite do eSport, o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL).
Team One, defendido por Absolut, classificou-se para a final do Circuito Desafiante. Se vencer, volta à elite do eSport, o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLOL).
(Foto: Leonardo Sang)

O atleta comenta não estar habituado ao acompanhamento médico que tem recebido e diz que é fundamental não negligenciar nenhum aspecto do tratamento. “Quando paro um pouco, boa parte dos avanços clínicos se perdem. Fiz um intensivo muito grande até as semifinais do Circuito Desafiante [vencidas pela Team One no dia 2 de abril] e sinto que terei que trabalhar dobrado, nos tratamentos, para conseguir jogar as finais. Se eu conseguir chegar com menos dores, vamos ganhar esse torneio e voltar para Campeonato Brasileiro da League of Legends [CBLOL].”

Peres conta que sabia da dificuldade de dispor do talento de Absolut em razão da lesão, mas, desde o começo, acreditou que, com acompanhamento médico especializado, seria possível tê-lo, mesmo que apenas em momentos-chave da competição. Assim, o CEO da Team One diz que o atleta tem sido providencial para a equipe, cujo principal objetivo no ano não é apenas voltar à elite, mas vencer a CBLOL.

“Apesar de não ter sido possível um tratamento focado apenas na recuperação total, pelo período da temporada em que nos encontramos, Absolut, mesmo com suas dores e o trabalho de recuperação, consegue, com menores cargas de treinamento técnico e tático, atingir um alto nível de atuações”, diz Peres.

Recommended Posts

Leave a Comment