Medicina Esportiva

A MEDICINA DO EXERCÍCIO e do ESPORTE
Apesar de ser uma especialidade médica com décadas de existência, a Medicina do Exercício e do Esporte foi apresentada ao público apenas nos últimos anos devido ao aumento da prática esportiva pelo público em geral e pela maior divulgação através da imprensa e mídias sociais.

O nome correto da especialidade é Medicina do Exercício e do Esporte, e o profissional médico que atua nesta especialidade é o médico do esporte, e não médico esportivo ou médico esportista. A Medicina do Esporte compreende os campos teórico e prático da área científica que estuda a influência do exercício, do treinamento e da prática esportiva em pessoas sadias e doentes. Auxilia na busca por resultados importantes na prevenção, tratamento e reabilitação de lesões do aparelho músculo-esquelético e na melhora do desempenho de quem pratica exercício físico.

A especialidade médica é dividida em duas grandes áreas:

1) Medicina do Esporte: relacionada ao desempenho (performance), voltada para os atletas de alto rendimento;

2) Medicina do Exercício: relacionada aos efeitos do exercício físico com o objetivo da manutenção da saúde, da diminuição do risco de lesões e do tratamento de doenças crônico-degenerativas, voltada para a população em geral.

Desta forma, a Medicina do Esporte está voltada não somente aos atletas de alto rendimento (profissionais), mas também para a população em geral no sentido de orientar a todos a prática segura e regular da atividade física com o objetivo de prevenir e tratar uma série de doenças crônico-degenerativas como hipertensão, diabetes, aumento de colesterol, depressão, determinar o tratamento e a reabilitação de lesões músculo-esqueléticas, e auxiliar a melhora do desempenho esportivo de todos os praticantes.  O papel do médico de esporte se inicia com a avaliação clínica do paciente, que lhe fornece uma visão global da saúde do atleta ou praticante de atividade física, através de criteriosa anamnese (histórico do paciente) e exame físico, resultados de exames laboratoriais, eletrocardiograma de repouso e teste ergométrico de esforço máximo. Segue-se a avaliação funcional, composta pelo conjunto de testes, exames e protocolos sobre a situação fisiológica do paciente com o objetivo de conhecer as variáveis que podem influenciar seu rendimento.  Estas variáveis representam as áreas da cineantropometria (perimetria, composição corporal, somatotipo), metabólico-energética (capacidade aeróbica, potência, resistência anaeróbica, limiares ventilatórios) e neuromuscular (força e potência muscular, flexibilidade, velocidade). Além disso, o médico do esporte é responsável pela implementação de ações para a diminuição do risco de lesões através do diagnóstico do atleta. Nesta fase, a integração com outras áreas (saúde e comissão técnica) se torna fundamental para a troca de informações com a equipe multidisciplinar (treinamento físico, nutrição, fisioterapia, psicologia).

     Por fim, o acompanhamento em treinos e competições é extremamente relevante para a melhor compreensão dos aspectos relacionados ao desempenho e aos mecanismos de lesões músculo-esqueléticas.  Vale ressaltar que o médico do esporte deve sempre se orientar pela atuação ética em relação à saúde de seu paciente, seja atleta profissional ou não, respeitando os mesmos princípios que são aplicados na prática médica em geral e que devem também nortear as condutas na Medicina do Exercício e do Esporte.

Unidades que atendem essa especialidade